Do MVP ao IPO: Como 3 gigantes da tecnologia começaram 

By 09/11/2017 August 13th, 2018 Não categorizado
Como 3 gigantes da tecnologia começaram: mvp inspiradores

Ao olhar para algumas empresas de tecnologia, é difícil imaginar como foram seus primeiros dias… Mas é fácil entender porque cresceram tanto: softwares são um dos únicos setores capazes de oferecer um produto com grande potencial de expansão, em um curto período de tempo.

Validar ideias e ainda oferecer um produto funcionando aos usuários é com certeza, o primeiro pilar para o sucesso de uma startup. E seguramente abre caminhos para conseguir investimentos ou entrar em programas de aceleração, que oferecem smart money. Veja aqui também dicas do que precisa para se inscrever no nosso programa.

No entanto, é um equívoco pensar que MVP  significa usar o mínimo de recursos disponíveis, com o único objetivo de fazer um produto sair para o mercado o mais rápido possível.

Um terrível engano. Principalmente, se uma entrega rápida for feita em detrimento à pesquisa de aceitação do cliente e do mercado. O desenvolvimento rápido é importante, mas apenas para que a aprendizagem possa ser obtida rapidamente. Entenda aqui como validar uma ideia sem perder tempo e dinheiro

Na verdade, o MVP nem precisa ser um produto de fato. Só precisa ser um teste bem desenhado com uma experiência simples e clara. Pode ser um vídeo explicativo, uma landing page ou um concierge mvp.

E mesmo negócios bilionários começaram com um produto mínimo viável. Devido à importância incontestável dos MVPs, não é surpreendente ver que muitas empresas que começaram com um MVP se tornaram unicórnios (startups com valuation igual ou maior que um bilhão de dólares).

Como 3 gigantes da tecnologia começaram: conheça seus MVPs

Selecionamos 3 diferentes empresas bem sucedidas que ilustram diferentes tipos de MVP.

Facebook: MVP com um produto simples

O Facemash, um site criado por Mark Zuckerberg e seus colegas de classe, usando fotos dos estudantes, hackeadas do sistema de Harvard, para que os usuários avaliassem entre um aluno e outro quem era mais quente, antecedeu a ideia do Facebook. O site rendeu à Mark acusações contra direitos autorais e de privacidade, e também $30.201 dólares para sua venda.

Em janeiro de 2004 entrou no ar o que conhecemos hoje como Facebook, apesar da escassez de serviços quando comparado ao modelo atual e ainda com acesso restrito a estudantes de Harvard.

Como 3 gigantes da tecnologia começaram

Os primeiros dias do Facebook mostraram muitos elementos-chave de um MVP bem sucedido:

  • Um modelo básico com apenas as funcionalidades necessárias para cumprir seu objetivo. Muitas das funcionalidades atuais do Facebook não foram incluídas no primeiro lançamento.
  • O aplicativo foi lançado para um pequeno grupo de early-adopters (usuários) para testar e obter feedbacks mais facilmente.

Dropbox: MVP em vídeo

Para responder a questão de saber se os clientes queriam usar e pagar sua solução de sincronização de arquivos, Houston e sua equipe tiveram que “por a cara pra bater” e colocar sua proposta na frente de usuários reais para feedbacks.

Mas em vez de se enfiarem em servidores, construir uma rede de alta complexidade e baixa latência,  antes de ter a menor idéia se as pessoas o usariam, a equipe fez algo muito mais simples.

Eles fizeram um vídeo explicativo para compartilhar em suas redes e avaliar as reações das pessoas. O vídeo de 3 minutos mostra apenas a funcionalidade pretendida do Dropbox de uma maneira rudimentar. E sem um produto real, o aumento de sign up  foi de 5.000 pessoas para 75.000 inscritos, em uma só noite.

Apenas essa experiência brilhantemente simples foi suficiente para vender a idéia. Encaminhando potenciais clientes ao demonstrar claramente como isso os ajudaria, levando eventualmente ao motivo pelo qual eles querem pagar por esse serviço.

Airbnb: Concierge MVP

O método concierge é uma técnica,  que consiste em fazer manualmente o que o seu produto faria automaticamente, e foi justamente o tipo de MVP que o Airbnb fez.

Em 2007, Brian Chesky e Joe Gebbia queriam abrir um negócio e não tinha recursos para pagar o aluguel em São Francisco. Resolveram então hospedar os participantes que vieram para uma conferência na cidade, que não tiveram sorte nos hotéis próximos. Eles tiraram fotos de seu apartamento, subiram em um site simples e logo tiveram 3 hóspedes pagantes: uma mulher de Boston, um pai de Utah e outro homem da Índia.

A interação tão próxima dos potenciais usuários fez com que os cofundadores entendessem os desejos dos seus clientes e validar se eles estavam dispostos a pagar pela experiência. Inicialmente, eles acreditavam que apenas universitários estavam dispostos a pagar para ficar na casa de outra pessoa, ao invés de se hospedar em um hotel. No entanto, chegaram à uma conclusão muito diferente do seus pressupostos iniciais. Assim que começou o Airbnb (então chamado AirBedAndBreakfast).

Como 3 gigantes da tecnologia começaram: Airbnb - Concierge MVP

Os MVP acima, conseguem criar uma experiência simples para testar a demanda – sem uma obsessão por features. Ao limitar-se a testar apenas o core do seu produto, você se dá espaço para falhar sem altos custos. O objetivo de um MVP é maximizar o aprendizado com o mínimo de esforço, sem grandes investimentos, se possível.

 

Leave a Reply